Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Reuters Staff
Reuters Staff

Feriados nos EUA e Reino Unido fazem Bolsas de Ásia e Europa fecharem mistas

Sem o apoio dos mercados de Nova York ou Londres, investidores se limitaram a monitorar a divulgação de indicadores das economias alemã e chinesa

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2021 | 17h30

Os negócios foram fracos no exterior nesta segunda-feira, 31, com dois dos principais mercados - Nova York e Reino Unido -, fechados por conta de feriados locais. Com isso, o foco se voltou para a divulgação de indicadores das economias alemã e chinesa. Os contratos do petróleo fecharam em alta hoje, apesar da baixa liquidez.

Na Alemanha, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) apontou para alta da inflação, após subir 0,5% em maio, ante previsão de crescimento de 0,3%. Para o ING, o indicador mostrou que "todas as potenciais pressões inflacionárias" estão "em pleno andamento" no país. O banco prevê que o CPI alemão pode eventualmente variar entre 3% e 4% no segundo semestre deste ano. Este cenário, diz a instituição, complica ainda mais a tentativa do Banco Central Europeu (BCE) de evitar discussões sobre a redução de compras de títulos públicos.

Já na China, dados oficiais mostraram que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial chinês recuou para 51 em maio, contrariando a expectativa de que permanecesse no patamar de 51,1 de abril. Por outro lado, o PMI de serviços do país avançou de 54,9 para 55,2 no mesmo período. As leituras acima de 50 sugerem expansão de atividade. 

Além disso, o mercado também acompanhou hoje a divulgação do relatório de perspectivas econômicas da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que elevou a sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) global em 2021, mas alertou para a recuperação desigual, com economias emergentes pressionadas.

Apesar dos indicadores, o mercados tiveram um dia de baixa liquidez. Em Nova York, os índices não operaram devido ao feriado do Memorial Day, enquanto em Londres, o mercado fechou para comemorar o feriado da Primavera do Reino Unido

Bolsas da Europa

No mercado europeu, o clima foi de queda. O índice Stoxx 600, que concentra as principais empresas da região, fechou em queda de 0,49%, enquanto a Bolsa de Frankfurt recuou 0,64% e Paris cedeu 0,57%. Os índices de Madri e Lisboa também cederam 0,82% e 1,19% cada.

A Bolsa de Milão foi a único a a ir na contramão e chegou a subir na maior parte do dia, apesar de ter fechado estável (0%) no final do dia.  

Bolsas da Ásia

No continente asiático, os índices fecharam majoritariamente em alta. Os chineses XangaiShenzhen subiram 0,41% e 1,10% cada, enquanto Hong Kong teve leve valorização de 0,09%. Já a Bolsa de Seul avançou 0,48% e Taiwan registrou ganho de 1,17%. Por outro lado, a Bolsa de Tóquio cedeu 0,99%.

A bolsa australiana também ficou no vermelho, em baixa de 0,25%, a principal da Oceania, após encerrar o pregão anterior em nível recorde. Há preocupações de que Victoria, segundo estado mais populoso do país, precise prorrogar o lockdown local. 

Petróleo

Os contratos de petróleo foram favorecidos nesta segunda pelas boas perspectivas de recuperação da demanda e à espera da reunião que os produtores da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e aliados realizarão na terça-feira, para discutir o controle da oferta do óleo no mercado.

O WTI para julho subiu 0,89%, a US$ 66,91 o barril. Já o Brent para agosto avançou 0,86%, para US$ 69,31 o barril. /MAIARA SANTIAGO, GABRIEL CALDEIRA E SÉRGIO CALDAS, COM INFORMAÇÕES DA EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.