Férias coletivas na Perdigão já atingem 9 mil

Funcionários de duas unidades de produção de aves da Perdigão entrarão em férias coletivas a partir da próxima semana. O plano de paradas técnicas da empresa atinge 5,1 mil funcionários das unidades de Capinzal (SC) e Carambeí (PR) que atuam no setor de abate de frangos.Somados aos anúncios da semana passada, a Perdigão já anunciou férias coletivas para quase 9 mil funcionários de cinco fábricas diferentes. A medida, de acordo com a empresa, tem a finalidade de adequar a oferta de frangos ao atual nível de demanda. Porém, não deve haver demissões em nenhum destes locais, de acordo com a empresa. Essas paradas, disse a empresa, já estavam programadas desde o fim do ano passado, quando se fez o planejamento para a produção de 2009.As férias coletivas devem ocorrer até o mês de maio, em unidades de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Pelo planejamento, à medida que uma unidade volta ao trabalho, outra para. A produção de perus e suínos da companhia não passará por paradas técnicas.A redução da produção de frango foi recomendada pela Associação Brasileira dos Exportadores de Frango (Abef). A entidade defendeu, no início do ano, a redução da produção destinada ao mercado externo em cerca de 20% no primeiro trimestre de 2009. O efeito da menor oferta de aves no mercado seria a estabilidade dos preços para o consumidor final. Ainda assim, a Abef espera que, até dezembro deste ano, o setor tenha um crescimento de 5% em relação a 2008. A Perdigão não é a primeira a anunciar férias coletivas. Na Sadia, cerca de 12 mil funcionários - o equivalente a 20% do total de colaboradores da empresa - cumpriram férias coletivas na virada do ano, durante um prazo médio de duas semanas, de acordo com informações da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.