Férias com aumento de preços

O governo pode autorizar, em meados de julho, um novo reajuste do preço das passagens aéreas em até 12%, segundo cálculos preliminares. O porcentual exato do aumento ainda está sendo avaliado pela Secretaria de Acompanhamento Econômico (Sae), do Ministério da Fazenda.Na semana passada, o Departamento de Aviação Civil (DAC) enviou as planilhas de custo das quatro companhias aéreas. Os pedidos de reajuste variam entre 18% e 28%. No ano passado, com a desvalorização do real, as companhias queriam um reajuste de 25%, mas o governo só autorizou 10,9%. Este ano, porém, a portaria concedendo o aumento deve sair em julho para evitar uma coincidência de reajustes e um impacto inflacionário grande. O peso do transporte aéreo no Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPC-A) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é de 0,35%. Viajar de carro fica mais caro no próximo sábado O preço dos pedágios estaduais sobe 13,87% no sábado, dia 1.º de julho. O governo do São Paulo já fechou o índice mas ainda não divulgou os valores que entrarão em vigor em cada uma das 56 praças de cobrança. O cálculo precisa levar em consideração os resíduos de arredondamento do último aumento, em julho de 1999.Segundo o contrato das empresas que administram as rodovias, sempre haverá arredondamento do índice, para cima ou para baixo, quando o reajuste aplicado sobre a tarifa resultar em número "quebrado", como R$ 5,38, por exemplo. Nesse caso, o valor iria para R$ 5,40.As empresas que no ano passado tiveram as tarifas arredondadas para cima terão o valor correspondente descontado no novo cálculo. O mesmo vale, com o raciocínio inverso, para aquelas cujos preços foram arredondados para baixo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.