Férias mais longas, maior produtividade

Mesmo com mais dias de folga, europeus superam EUA em eficiência

Mark Scott, DER SPIEGEL, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

Os europeus de renda média têm direito a quase dez dias a mais de férias que os trabalhadores dos Estados Unidos. Essa é uma das conclusões de uma pesquisa da consultoria Mercer, que analisou o número de dias de férias que as companhias europeias dão às suas equipes, assim como o número de feriados nacionais em cada um dos países.

O estudo revela que a média dos dias de folga nos países da UE é hoje de 34,4 dias, comparado aos 25 dias nos Estados Unidos. No total, os trabalhadores na Lituânia são os que possuem o maior número de dias de folga: 41 por ano. França e Finlândia vêm empatadas na sequência, com 40 dias por ano.

"Na Europa, o tempo livre é sacramentado por lei, então os empregadores são forçados a contratar mais gente para cobrir as lacunas", diz Matthew Hunt, diretor da equipe internacional da Mercer. "Os EUA têm uma visão diferente; o foco é manter a produtividade."

Os americanos podem até tirar menos férias, mas eles são realmente mais eficientes do que seus colegas europeus? Os números do PIB por horas trabalhadas revelam que algumas partes da Europa ainda são pelo menos tão produtivas quanto os EUA, se não mais, mesmo com mais dias de folga por ano.

MENOS TRABALHO

O grupo dos países com maior produtividade inclui algumas das menores nações europeias. No topo estão Bélgica, Holanda e Luxemburgo, cujo desempenho supera o dos americanos, com base no critério de PIB por horas trabalhadas/ano. De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Bélgica e Holanda, que têm respectivamente 30 e 28 dias de férias por ano, são quase 2% mais produtivas do que os Estados Unidos. E Luxemburgo, que tem um setor financeiro altamente competitivo e 32 dias de férias por ano, é assustadoramente 27% mais eficiente.

Mesmo a França prova que tem condições de competir com a produtividade americana. Ao colocar o foco em manufaturas de alto valor, como os produtos da Louis Vuitton, a França é apenas 2% menos produtiva que os EUA, com base na metodologia da OCDE. Isso ocorre a despeito de os franceses tirarem 40 dias de férias por ano, e trabalharem, em média, 37 horas por semana.

E na Alemanha, a maior economia da Europa, a produtividade está apenas 7% aquém da americana, em razão da indústria voltada à exportação. Os alemães também trabalham cinco horas a menos por semana do que os colegas americanos, tiram cinco dias a mais de férias por ano e têm uma taxa de desemprego quase dois pontos porcentuais abaixo da estatística dos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.