coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Fernão Dias deve ser a estrela do leilão de rodovias

A Rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte, deverá ser a grande estrela do leilão de concessão de sete trechos rodoviários marcado para a próxima terça-feira, na Bolsa de Valores de São Paulo. Além de interligar dois grandes centros do País, a rodovia é vista como um investimento seguro, pois são baixos os riscos de os motoristas burlarem a cobrança de pedágio.As estradas que cruzam os Estados de Santa Catarina, do Paraná e do Rio Grande do Sul passam por áreas com alta concentração urbana, onde é mais fácil os motoristas adotarem caminhos alternativos, conhecidos como ''rotas de fuga''.Áreas mais povoadas também tornam mais complexos os processos de desapropriação para duplicação e ampliação das rodovias. Ao todo, as rodovias federais que vão a leilão somam 2.600 quilômetros e serão administradas pelo setor privado por 25 anos.O leilão é um processo que se arrasta desde 1999. No primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministério dos Transportes tentou licitar os sete trechos, mas foi impedido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), por divergências sobre o modelo e os benefícios para os usuários.No início deste ano, o governo decidiu adiar o leilão para reduzir o ganho do concessionário com os pedágios. Na época, o empresariado dizia que ninguém aceitaria investir com uma taxa de retorno abaixo dos 12,88% originalmente previstos no leilão.Para cada lote leiloado, será vencedor quem se propuser a cobrar o menor pedágio, a partir de um teto máximo fixado pelo governo. Quem vencer se compromete a fazer os investimentos necessários, que vão desde a duplicação de trechos até a instalação de telefones e contratação de ambulâncias.

Agencia Estado

07 de outubro de 2007 | 08h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.