Festa de fim de ano é chance de integração e reconhecimento

Em tempos de escassez de mão de obra qualificada para áreas como tecnologia da informação e análise contábil, as comemorações de fim de ano nas empresas podem ser, na opinião de especialistas, uma oportunidade para que organizações valorizem seus colaboradores. E ainda garantam a retenção dos seus melhores talentos.

/G.C., O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2011 | 03h10

"As festas devem mostrar que a empresa está próxima do funcionário", diz o diretor de novos serviços e produtos da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Cezar Tegon. "Elas tornaram-se automáticas, mas esse é um momento bacana para se fazer algo diferente", sugere o diretor.

Para a diretora de serviços de recrutamento da Business Partners Consulting, Bárbara Will, é importante que as empresas reconheçam, nas confraternizações, o esforço de seus funcionários durante o ano: "É um balanço, um pronunciamento em relação aos resultados alcançados, mostrando para as equipes o que elas ajudaram a construir", diz.

Tegon recomenda ainda que os gestores apresentem, de forma sucinta, os planos das companhias para o ano seguinte. "As empresas, em geral, sabem o que querem, mas compartilham muito pouco. É importante o representante master mostrar perspectiva."

Bárbara considera essencial o incentivo à integração entre as áreas. "Pode ser tanto um amigo secreto quanto uma atividade de lazer", diz. Internamente, a Business Partners promove um fim de semana dedicado à confraternização dos seus colaboradores. "Com isso, consegue-se colocar em prática (lazer e atividades corporativas) de uma forma fácil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.