JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Festival de Cannes anuncia dezoito jurados brasileiros

Brasil terá dois presidentes de júri e estará representado também na Innovation Lions, que passou de categoria a festival paralelo

O Estado de S. Paulo

19 Fevereiro 2015 | 22h19

A edição 2015 do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade, que ocorre de 21 a 27 de junho em Cannes, na França, terá 18 jurados brasileiros. Esta será a primeira vez que o País terá dois presidentes de júri: a vice-presidente de criação da FCB Brasil, Joanna Monteiro (eleita a mulher mais criativa do mundo da publicidade em 2014 pela publicação americana Business Insider), e o fundador da produtora Mixer, João Daniel Tikhomiroff, que já ganhou 41 leões.

Tikhomiroff, brasileiro que mais vezes foi jurado em Cannes (já participou de cinco edições), comandará o julgamento da categoria Film Craft, que elege a melhor realização de uma campanha em filme. Nesta escolha, são considerados fatores como roteiro, fotografia, cenografia, figurino, música e elenco.

Já Joanna ficará por conta da categoria Mobile Lions, que avalia os trabalhos publicitários que se valem do celular para transmitir uma mensagem ou oferecer um serviço. Na edição de 2014, foi justamente nessa categoria que a FCB Brasil conquistou um inédito Grand Prix (Grande Prêmio), com ação desenvolvida para a Nivea Sun Kids. Em anúncio veiculado na Veja Rio, a marca pôs uma pulseira que se comunicava com um app para smartphone. A ideia era que os pais conseguissem rastrear seus filhos.

Para Flávio Pestana, diretor de mercado anunciante do Grupo Estado, assumir duas presidências de júri eleva o “status do País no ranking da propaganda mundial”. “É um reconhecimento importante”, diz. O Estadão é o representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade desde 2001.

Outra novidade do evento deste ano é que, além do Lions Health – premiação paralela ao festival principal voltada para a área da saúde –, será realizado também o Lions Innovation, que na edição passada era apenas uma categoria e agora passa a ser também uma premiação independente. Ambos terão jurados brasileiros.

Na Lions Health, na categoria health and wellness, o País terá o diretor executivo de criação da JWT, Ricardo John; e na categoria pharma, o representante será Emerson Braga, sócio da Revolution Brasil. Já no Lions Innovation o jurado brasileiro será o vice-presidente de criação da Rapp Brasil, André Pasquali.

Filme. Entre os jurados brasileiros do festival principal está também Fernando Nobre, vice-presidente de criação da Borghi/Lowe, que já ganhou 15 leões em sua carreira. Ele participará da escolha do melhor filme publicitário. Para Nobre, há três itens fundamentais para se considerar na análise de um comercial: a ideia, a execução e a pertinência. “Quando esses três aspectos são executados com excelência, o filme naturalmente se destaca.”

Entre os critérios usados para escolher os jurados estão o histórico profissional, seu reconhecimento no mercado, a experiência como jurado em outros festivais e o peso dos grandes grupos de publicidade na formação do júri. O Brasil terá jurados em 15 das 16 categorias do festival. Só a categoria Titanium and Integrated Lions, considerada a principal do festival, não terá jurado brasileiro. 

Mais conteúdo sobre:
cannes lions

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.