Festival de Cannes dá a largada com recorde de peças

Evento começou na quinta-feira com 28.828 trabalhos inscritos de 90 países; são esperados 9 mil participantes, 599 deles do Brasil

Marili Ribeiro, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2011 | 00h00

Três dos 13 júris que vão julgar o melhor da produção publicitária mundial deram largada, na quinta-feira, na maratona de trabalhos da 58.ª edição do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade. Por dez dias, a cidade da Riviera francesa vai monopolizar a atenção dos profissionais da propaganda e marketing.

O maior encontro da propaganda global tem o que comemorar este ano, pelo menos para a empresa inglesa Emap, que organiza o evento. Houve recorde de trabalhos inscritos: 28.828 peças de 90 países. Espera-se agora uma enxurrada de Leões de Ouro, Prata e Bronze, troféus que os publicitários tanto gostam de exibir em seus escritórios.

O Cannes Lions Festival, apesar do gigantismo que vem ganhando nos últimos cinco anos, ainda é a maior referência do mercado na hora em que um anunciante vai escolher a agência de propaganda que prestará serviços de construção de marca para seus produtos ou ajudar a atrair consumidores para alavancar suas vendas.

Até o momento são esperados 9 mil participantes. Do Brasil, são 599, sendo 12 jurados. Esses números são alterados com os eventos paralelos ao julgamento das peças publicitárias. Trata-se de um fenômeno crescente que tem tornado o Cannes Lions também uma grande feira de comunicação e serve de vitrine para companhias conquistarem clientes e fazer negócios.

Ao todos, estão programados 57 seminários, 20 workshops e 10 master classes, fora as inúmeras palestras em eventos paralelos nas redondezas do Palais des Festivals, que abriga o centro dos acontecimentos no Cannes Lions. Todos os eventos paralelos se realizam nesta semana.

Ascensão. A presença brasileira no festival é tradição em quase 60 anos. E, nos últimos anos, o Brasil cresceu no número de peças inscritas - este ano o País ficou em segundo lugar, atrás apenas dos Estados Unidos, líder absoluto. As agências brasileiras inscreveram 2.647 trabalhos e as americanas 4.045. O número aponta aumento de 25% do Brasil em comparação com 2010.

O País passou a ter presença expressiva também em outros palcos. Os profissionais do setor ampliam sua participação em seminários e workshops. O mercado publicitário brasileiro tem despertado forte interesse dos investidores no setor e há plateias curiosas por ouvir o que eles têm a contar.

No último ano, algumas agências foram compradas por conglomerados internacionais, tendência que deve continuar, já que eventos como Copa do Mundo e Olimpíada estão na agenda do Brasil.

Na terça-feira, por exemplo, executivos da Fiat no Brasil e da AgênciaClick Isobar vão apresentar o carro-conceito Fiat Mio, criado com mais de 11 ideias sugeridas por 17 mil usuários de 160 diferentes nacionalidades. O carro não será produzido, mas muitas das sugestões entrarão na linha de produção da Fiat. No Brasil, o Fiat Mio foi exposto no Salão do Automóvel.

Na área de workshop, a Associação Brasileira de Empresas de Design (Abedesign) não só fará exposição, como se associou à Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para levar uma missão de empresários brasileiros. A intenção é aproximá-los das propostas de uso do design na comunicação, além de abrir canais para contatos.

Meio trilhão. A movimentação da propaganda global voltou a ser crescente. Os negócios do ramo vão girar em torno de US$ 500 bilhões este ano, segundo estudo da empresa eMarketer, que prevê um crescimento de 4% .

Mas, se os investimentos globais somente em anúncios vão movimentar meio bilhão de dólares, um estudo que amplia o setor e inclui entretenimento, realizado pela consultoria PWC, indica que os negócios da área somaram US$ 1,4 trilhão em 2010.

Entretenimento e Mídia cresceram 4,6% no ano passado, após retração de 2,4 % no ano de 2009, segundo a consultoria. O Brasil, com expansão de 15,3% e uma cifra de US$ 33,1 bilhões em 2010, apresentou um dos maiores crescimentos em entretenimento e mídia, ficando atrás apenas da Indonésia, 18,9%, Filipinas, 18,2%, e Tailândia, 17,2%.

O Grupo Estado é representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.