Festival Internacional tem 650 tipos de cerveja no Rio de Janeiro

Mercado de cervejas especiais  cresceu 79% em 2012, o que ajudou a atrair para o Brasil o 'Mondial de la Bière', criado há duas décadas em Montreal, no Canadá

Economia & Negócios,

15 de novembro de 2013 | 15h01

RIO DE JANEIRO - Uma experiência de muitos sabores para quem costa de cerveja é a premissa da primeira edição no Rio de Janeiro do Festival Mundial de Cervejas Especiais.

O festival abriu suas portas com mais de 650 marcas artesanais para serem descobertas pelos amantes da cerveja.

O festival que termina no domingo, 17, na Praça Onze, reforça os eventos de negócios dedicados à cerveja no Brasil, um dos três maiores produtores mundiais da bebida.

Com um consumo anual de 13,4 bilhões de litros de cerveja, o Brasil é o primeiro país da América Latina a receber o encontro denominado 'Mondial de la Bière', criado há duas décadas em Montreal, no Canadá.

A demanda em alta ajudou a atrair o festival. Só no segmento de cervejas especiais, o crescimento de consumo no Brasil foi de 79% no ano passado.

Segundo dados da organização do festival, o País tem pelo menos 200 microcervejarias registradas, que respondem por 5% do faturamento de um mercado que chega a R$ 39,6 bilhões, com gigantes como a Inbev.

Tudo o que sabemos sobre:
Cerveja

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.