coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Fevereiro foi "alentador" para eletroeletrônicos, diz Eletros

As indústrias de imagem e som e equipamentos portáteis já vislumbram a possibilidade de tirar as barbas de molho este ano. De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Paulo Saab, as vendas em fevereiro foram alentadoras para o setor. Houve um aumento de 26,43% nas vendas em relação a janeiro de eletroportáteis e produtos de imagem e som, num volume total de 1,47 milhão de peças.O resultado é ainda um pouco inferior ao de fevereiro de 2001 (3,83% a menos do que no ano passado), mas no contexto atual, a venda é digna de comemoração. Segundo Saab, as vendas do primeiro trimestre de 2001 ainda estavam influenciadas pelo efeito positivo do ano anterior, quando o setor teve um dos melhores desempenhos dos últimos tempos.Mas alguns itens deixam claro que o consumidor está um pouco mais confiante. As vendas de televisores, por exemplo, aumentaram 0,53% em fevereiro em relação ao mesmo período do ano passado. "Ainda não é o efeito Copa do Mundo", esclarece o presidente da Eletros. "As vendas de TVs só devem ter um salto um mês antes do compeonato", acredita.O número, porém, chama a atenção por tratar-se de um artigo de preço relativamente alto. "É um indício que pode ser um ano de recuperação", entende Saab.Já os portáteis tiveram queda de vendas de 7,64% em fevereiro, em relação ao mesmo mês de 2001. Embora o preço seja inferior ao de uma televisão, os portáteis devem vender mais em datas especiais, como Dia das Mães. O fim do racionamento de energia também deve impulsionar a venda desses artigos, pois vai tirar a "culpa" dos ombros dos consumidores para comprar um produto da linha.JurosA reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central esta semana é esperada com uma certa expectativa pelos fabricantes do setor. Uma nova redução de juros pode trazer alento ainda maior para o comércio de eletroeletrônicos, bastante suscetível a crédito, explica Paulo Saab.O incremento nas vendas de fevereiro ainda não está relacionado à redução das taxas no dia 20 daquele mês, até porque os efeitos do recuo dos juros no varejo são mais lentos. A taxa básica (taxa Selic) havia sido reduzida de 19% para 18,75% ao ano.DVDUma vez mais os números de venda de DVDs demonstram que o brasileiro adotou o aparelho, seja para substituir o vídeo ou para colocar os dois equipamentos sobrepostos na estante da sala. As vendas subiram 158,9% em relação a fevereiro do ano passado.Com o desempenho do DVD e a proximidade da Copa, o segmento de imagem e som espera fechar o ano com alegria. Para o são-paulino Paulo Saab, se Kaká e França forem convocados para a seleção, não há dúvidas de que este ano tem tudo para ser o melhor dos últimos tempos.

Agencia Estado,

18 de março de 2002 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.