FGTS: bancos enviarão informações na segunda

Os bancos só vão completar o envio das informações sobre as contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) existentes no período dos planos Verão (janeiro de 1989) e Collor I (abril de 1990) para a Caixa Econômica Federal na próxima segunda-feira. Segundo o diretor da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Hugo Dantas, as instituições tiveram muitos problemas para relacionar todas as contas que têm direito a receber a correção monetária referente àqueles planos.Como boa parte das informações sobre o saldo das contas na época desses planos econômicos estavam em fitas ou em arquivos manuais, foi preciso contratar empresas especializadas em transferência de dados para ajudar a localizar todas as informações.O Ministério do Trabalho precisa dessas informações para poder efetuar o pagamento dos expurgos aos trabalhadores. O cronograma estabelecido em lei prevê que as correções começariam a ser liberadas a partir de junho. Se não receber os dados a tempo, isso poderá comprometer os planos do governo. Na última reunião do Conselho Curador do FGTS, o diretor da Caixa, José Renato Correa de Lima, garantiu que o pagamento começará em junho mas disse que poderá haver atrasos para uma parte dos trabalhadores que têm direito a receber o expurgo.O Ministério do Trabalho não definiu ainda como será feita a cobrança da multa que, pela lei, deve ser aplicada aos bancos que não entregaram os dados até 31 de janeiro. A resolução que regulamenta a aplicação da multa não foi homologada pelo Conselho porque o representante das instituições financeiras pediu vistas. Nova reunião extraordinária está marcada para o início de abril. Na avaliação do secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Paulo Jobim, o pedido de vistas não impede a cobrança da multa que deverá aplicada em 60 instituições financeiras. Por causa de dificuldade em localizar as contas antigas do FGTS foram chamadas seis empresas do ramo de transferência de dados para assessorar os bancos, sendo três delas estrangeiras. Ao todo, as instituições financeiras têm que mandar informações referentes a 56 milhões de contas corrente. Segundo Dantas, o problema maior ocorreu em três bancos, cujos nomes ele não quis citar.Até ontem, segundo o diretor da Febraban, os bancos tinham repassado para Caixa, que é a responsável pelo processamento das informações que serão encaminhadas ao Ministério do Trabalho, 82% dos dados. Desse total, 51% foram aprovados pela Caixa, 15% ainda estão em análise e 16% foram devolvidos por conter erros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.