seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

FGTS beneficia cidades onde imóvel é mais caro

Teto anterior de R$ 130 mil não era compatível com preço de unidades nesses mercados

Agnaldo Brito, O Estadao de S.Paulo

30 de outubro de 2007 | 00h00

A mudança que será votada hoje pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve beneficiar diretamente os trabalhadores que moram nas capitais, onde os valores dos imóveis são maiores. Além de liberar o financiamento com recursos do Fundo para famílias com renda superior a R$ 4,9 mil, o valor dos imóveis também poderá ser elevado para além dos R$ 130 mil. Ambos os limites afetavam, segundo o setor da construção habitacional, o acesso de moradores de grandes cidades, que possuem renda mais alta e encontram custos de imóveis também mais elevados.''''A mudança que pode vir hoje da reunião do Conselho vai beneficiar muito os cotistas que vivem em capitais, onde, em geral, o valor do imóvel é mais caro do que em cidades menores'''', explica Fábio Rossi, diretor da Construtora Itaplan e do Sindicato da Habitação (Secovi-SP).Segundo Rossi, as regras para o uso do FGTS impunham limites que na prática excluem trabalhadores das cidades grandes. Para Rossi, a expansão do mercado imobiliários nos últimos anos ainda está muito aquém da demanda que ainda existe. O FGTS deverá liberar este ano cerca de R$ 12 bilhões em financiamentos. Somados aos recursos da poupança, o total de recursos para financiamento habitacional no Brasil deve atingir R$ 17 bilhões em 2007. ''''Poderíamos multiplicar este volume de financiamento imobiliário por dez'''', afirma.Segundo ele, a flexibilização das regras de acesso aos recursos do FGTS são positivas e vão estimular a construção de novas unidades habitacionais no País, principalmente nos grandes centros.Cláudio Elias Conz, membro do Conselho Curador do FGTS pela Confederação Nacional do Comércio, afirma que as propostas que deverão ser votadas hoje têm como meta corrigir uma ''''injustiça'''' contra um grupo de trabalhadores brasileiros. ''''Há um grupo de trabalhadores que são hoje apenas os contribuintes, responsáveis pela formação do FGTS, mas não conseguem ter acesso aos recursos. É necessário corrigir esse problema'''', afirma Conz.MUDANÇASRENDAComo é hoje: Podem pleitear financiamento habitacional com recursos do FGTS apenas as pessoas com renda familiar mensal de até R$ 4,9 mil por mês- sejam ou não titulares de conta do FGTSComo fica: Pessoas com renda mensal superior a R$ 4,9 mil também poderão pleitear empréstimos com recursos FGTS, desde que sejam cotistas do FGTS há mais de três anos VALOR DO IMÓVELComo é hoje: Para os residentes em capitais e regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o valor máximo do imóvel a ser financiado é de R$ 130 mil. Em outras cidades, o teto varia entre R$ 80 mil e R$ 100 milComo fica: Os imóveis poderão ter valor de mercado de até R$ 350 mil em qualquer lugar do País. O empréstimo terá valor máximo de R$ 245 mil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.