FGTS: CGT estima pagamento de R$ 42 mi

Um estudo da Central Geral dos Trabalhadores (CGT) estimou que o volume de recursos necessário para o cumprimento da decisão judicial para o pagamento dos expurgos inflacionários dos Planos Collor e Verão sobre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) seja próximo de R$ 42 bilhões. Diz ainda o estudo que "é razoável estimar que esse valor seja ligeiramente inferior após o cumprimento da etapa de reconhecimento da dívida". A CGT faz uma série de sugestões ao governo para o pagamento do expurgo, até com o lançamento de títulos do FGTS. As formas de pagamento seriam basicamente divididas em duas modalidades. A primeira, em depósitos efetuados na conta vinculada de cada correntista, disponibilizados os saques na data de aniversário, caso o titular da conta já tenha realizado alguma das modalidades de saque previstas. A segunda, por meio de um leque de alternativas de troca. Para essa alternativa, a CGT sugeriu ao ministro Francisco Dornelles a adoção de várias alternativas: títulos do FGTS, com prazo de resgate escalonado e rentabilidade formatados para incrementar planos de previdência privada; ações de empresas estatais ou cotas de Fundos Mútuos de Privatização (FMP); outras modalidades de ativos (dos governos) adequadas a troca permitindo inclusive associação de correntistas com esse fim específico; amortização ou compra da casa própria. O estudo diz ainda que "caso o correntista opte pelo pagamento em depósito a ser efetuado em sua conta vinculada terá de respeitar cronograma de encaixe dos recursos adicionais gerados pelas aplicações das disponibilidades líquidas do FGTS no mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.