FGTS: crédito de até R$ 100 só a partir do dia 10

Os trabalhadores com direito a receber até R$ 100 de crédito complementar por conta das perdas provocadas pelos planos Verão e Collor ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e que estejam enfrentando dificuldades para sacar o dinheiro terão de esperar pelo menos até o dia 10 de agosto. O prazo foi estipulado ontem pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Valdery Albuquerque, para que a instituição possa se adaptar às novas regras da medida provisória que tenta facilitar o acesso aos créditos. Quem ainda não preencheu o termo de adesão exigido pelo governo não precisará mais de documento prévio, no caso dos créditos de até R$ 100. Os valores devem ser sacados diretamente da Caixa, com a carteira de identidade e o número do PIS, ou das lotéricas conveniadas por quem tem o Cartão do Cidadão. Cerca de 34 milhões de pessoas, titulares de 85 milhões de contas do FGTS com créditos de até R$ 100 foram dispensadas de comprovar que estão em condições legais de sacar imediatamente o valor de suas correções. Ao todo, esses trabalhadores têm direito a receber R$ 2,2 bilhões. Pela lei, só poderiam sacar os aposentados, trabalhadores demitidos sem justa causa do emprego que ocupavam na época dos planos e os que usaram o saldo para adquirir casa própria. Como a maioria das contas não tinha essa informação, os trabalhadores estavam sendo chamados a apresentar as carteiras de trabalho ou os termos de rescisão de contrato. Do contrário, o valor seria depositado na conta de FGTS e só poderia ser sacado futuramente.

Agencia Estado,

16 de julho de 2002 | 08h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.