FGTS: R$ 3,8 bilhões vão para habitação

O Conselho Curador do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) aprovou, nesta quinta-feira (29/03), o orçamento de R$3,8 bilhões destinados para os financiamentos em habitação e saneamento realizados pela Caixa Econômica Federal. O valor é 15% maior que os R$3,3 bilhões do orçamento de 2000, e vai tornar possível beneficiar 308 mil famílias com o financiamento de moradias para quem ganha até de 12 salários mínimos (R$2.160 no novo mínimo de R$180), além de gerar ou manter cerca de 600 mil empregos. Com os recursos do FGTS, a Caixa pode financiar a compra de imóvel na planta, novo ou usado, material de construção ou lote. O aumento do orçamento do FGTS em 2001 atende ao crescimento da procura verificado no mercado. Nos dois primeiros meses de 2001, a Caixa assinou 37.276 contratos com recursos do FGTS, o que representou um aumento de 34% em relação aos financiamentos do mesmo período do ano 2000. Em valores, foram liberados R$370,5 milhões, o que representou um crescimento de 12% em relação ao primeiro bimestre de 2000. A Caixa vai aplicar, também em 2001, R$720 milhões no PAR - Programa de Arrendamento Residencial, destinado às famílias com renda máxima de seis salários mínimos, também com recursos do FGTS. Somados os dois programas, o FGTS coloca à disposição das famílias de renda mais baixa R$4,5 bilhões para a compra da casa própria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.