Marcelo Camargo/Agência Brasil - 18/7/2019
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 18/7/2019

FGTS: Caixa deposita saque extraordinário de até R$ 1 mil; confira quem recebe

É possível usar o crédito para quitar contas ou como cartão de débito em lojas online, sites ou aplicativos, além de compras com o QR code

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2022 | 11h06

Os trabalhadores nascidos em fevereiro que têm saldo no FGTS poderão retirar até R$1 mil de suas contas a partir deste sábado, 30. As movimentações do chamado saque extraordinário poderão ser realizadas até 15 de dezembro. 

O crédito será feito em conta poupança social, aberta automaticamente pela Caixa Econômica Federal e que pode ser acessada por meio do aplicativo Caixa Tem. Após o crédito dos valores, já é possível pagar contas, utilizar o cartão de débito virtual para pagamento em lojas, sites ou aplicativos, além de fazer compras pagando com o QR code nas maquininhas, tudo por meio do Caixa Tem. 

Veja o calendário do saque extraordinário do FGTS:

  • Nascidos em janeiro recebem em 20/04
  • Nascidos em fevereiro  recebem em 30/04
  • Nascidos em março recebem em 04/05
  • Nascidos em abril recebem em 11/05
  • Nascidos em maio recebem em 14/05
  • Nascidos em junho recebem em 18/05
  • Nascidos em julho recebem em 21/05
  • Nascidos em agosto recebem em 25/05
  • Nascidos em setembro recebem em 28/05
  • Nascidos em outubro recebem em 01/06
  • Nascidos em novembro recebem em 08/06
  • Nascidos em dezembro recebem em 15/06

Os valores disponíveis podem ser consultados pelo aplicativo do FGTS ou pela página da Caixa na internet. Os recursos que não forem sacados até o dia 15 de dezembro retornarão ao FGTS, devidamente corrigidos.

O trabalhador que não deseja receber o saque extraordinário do FGTS deverá acessar o aplicativo FGTS ou se dirigir a uma das agências do banco para informar que não quer receber os valores. O crédito automático poderá ser desfeito até 10 de novembro de 2022.

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.