FGTS também para comprar ações de Furnas

Os trabalhadores vão poder comprar o equivalente a R$ 2,2 bilhões em ações de Furnas com o dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A Caixa Econômica Federal, gestora do FGTS, aguarda que o governo defina a questão para lançar um fundo de ações exclusivo para o uso do FGTS em Furnas, como foi feito com a Petrobrás.A forma de uso do FGTS para a aquisição de ações de Furnas deve ser decidida hoje, na reunião do Conselho Nacional de Desestatização. O presidente Fernando Henrique Cardoso já concordou com o pedido, feito pelo presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho. A expectativa da central sindical é de que o governo autorize inclusive um porcentual maior do que ocorreu na Petrobrás.Nesse caso, o Palácio do Planalto terá que baixar uma medida provisória, alterando a lei 9491. É que a legislação só permite o uso do FGTS até 50% do saldo que o trabalhador tem em conta. A expectativa é de que o governo permita o uso de 70% do FGTS. Também já está decidido que o governo dará aos trabalhadores vantagens na aquisição das ações de Furnas, ou seja, um deságio de 20%, que será bancado pelo Tesouro Nacional.Para poder comprar ações de Furnas os trabalhadores terão que participar de fundos específicos, que serão criados pelos bancos e pela Caixa e aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Banco Central (BC). Os trabalhadores que optarem por arriscar no mercado de ações terão que permanecer com o dinheiro aplicado por um período mínimo de um ano. Após esse período as ações poderão ser vendidas e o dinheiro retornar à conta vinculada do FGTS, com a garantia do governo de rendimento anual de 3% ao ano acima da correção da Taxa Referencial de Juros (TR).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.