FGV aponta confiança dos empresários para economia em 2005

A confiança dos empresários nas perspectivas para a economia durante o primeiro semestre de 2005 é grande, segundo apontou a Sondagem Industrial da Fundação Getúlio Vargas (FGV), referente ao período entre 27 de dezembro e 20 de janeiro, e que foi divulgada hoje. Para 59% das empresas, entre janeiro e junho de 2005, a situação dos negócios melhorará, enquanto apenas 4% acham que ela piorará.A diferença de 55 pontos porcentuais entre os dois extremos é praticamente a mesma dos 54 pontos porcentuais registrados em janeiro de 2004. O resultado é o melhor na série histórica da FGV, só superado pela sondagem da Indústria em abril de 1995. A pesquisa da FGV não divulgou qual foi o porcentual à época.Situação dos negóciosA Sondagem da Indústria da Fundação Getúlio Vargas mostra ainda que em janeiro de 2005, entre as empresas pesquisadas, 21% consideram que a situação atual dos negócios é boa, ante 8% que julgam serem fracas as atuais atividades. Não houve muita oscilação neste índice com relação a janeiro de 2004, quando os negócios iam bem para os mesmos 21% e fracos para 14%.O resultado geral da pesquisa indica que o fraco desempenho da indústria entre setembro e novembro de 2004 não representa um esgotamento do atual ciclo de crescimento mas uma acomodação após vários meses de expansão a taxas elevadas, informou a FGV no relatório da sondagem industrial.A pesquisa destacou ainda que entre a pesquisa anterior, realizada em outubro, e esta, a elevação gradual da taxa referencial básica de juros, a Selic, provocou "inquietude" nos meios empresariais. Entretanto, a "visão majoritária, indicada pela Sondagem de janeiro, parece ser a de que este processo se trata de um ajuste fino que não comprometerá o curso de médio e longo prazos da economia".Entre as duas pesquisas, houve ainda mudança no patamar da taxa cambial, segundo lembra a FGV: Em outubro a cotação do dólar havia sido em média, de R$2,85. Em janeiro, caiu para R$2,70, mas este movimento ainda não afetou significativamente a avaliação dos empresários emrelação às vendas externas.PerspectivasNa sondagem divulgada hoje, a FGV destaca que as perspectivas do setor industrial para os próximos meses são favoráveis, embora haja "arrefecimento da magnitude dos saldos de respostas em alguns dos quesitos da pesquisa relacionadas ao curto prazo, se comparados aos números apurados em outubro passado". O conjunto de dados é compatível com a sustentação do ciclo de crescimento, ainda mais levando-se em conta os robustos resultados obtidos nas perguntas relacionadas ao emprego e à situação dos negócios nos próximos seis meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.