Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

FGV: confiança da indústria cai 0,3% em fevereiro

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) voltou a cair em fevereiro, segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Houve retração de 0,3% em relação a janeiro deste ano. No período, o indicador passou de 112,8 para 112,5 pontos, na série com ajuste sazonal. Em janeiro ante dezembro do ano passado, a baixa havia sido de 1,5%.

GLAUBER GONÇALVES, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2011 | 08h34

Embora suave em relação ao mês anterior, a queda de fevereiro leva o índice ao menor nível desde novembro de 2009, quando estava em 109,6 pontos. Dos itens do índice de confiança que retratam o momento atual, destaca-se entre janeiro e fevereiro a continuidade do equilíbrio dos estoques industriais. Em fevereiro, a parcela de empresas que avaliam o nível de estoques como excessivo foi de 5,7%, enquanto a fatia das que o consideram insuficiente ficou em 4,5%. Em janeiro, os percentuais foram de 6,3% e 4,0%, respectivamente.

As expectativas dos empresários da indústria em relação à evolução da produção nos meses seguintes ficaram menos otimistas: o indicador do quesito ficou em 134,6 pontos, o menor desde agosto de 2010 (131,6). Das 1.128 empresas consultadas, 39,7% preveem aumentar a produção no trimestre de fevereiro a abril (ante 43,7% em janeiro) e 5,1% pretendem reduzi-la (ante 4,9%).

O ICI é um indicador cujo cálculo é baseado em cinco tópicos da Sondagem da Indústria. A partir das respostas dos tópicos, a FGV elabora o resultado do índice dentro de uma escala que vai até 200 pontos, sendo que o desempenho do indicador é pessimista ou otimista se a pontuação total das respostas fica abaixo ou acima de 100 pontos, respectivamente.

Nuci

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada da indústria (Nuci) fechou fevereiro em 84,5%, ante os 84,7% de janeiro, na série com ajuste sazonal. De acordo com a FGV, o porcentual é idêntico ao registrado em novembro do ano passado. Expresso em termos de média móvel trimestral, o Nuci ficou estável em 84,7% nos dois primeiros meses do ano, 0,5 ponto porcentual abaixo do nível máximo do ano passado, registrado nos meses de junho, julho e agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
indústriaconfiançacapacidadeFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.