FGV: confiança do consumidor sobe 3,5% em outubro

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 3,5% em outubro ante setembro, em comparação com a queda de 0,3% em setembro ante agosto, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resultado, o desempenho do indicador, que é calculado com base em uma escala de pontuação entre 0 a 200 pontos (sendo que, quando mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), passou de 109 pontos em setembro para 112,8 pontos em outubro, registrando o maior nível da série histórica do índice, iniciada em setembro de 2005.A FGV informou que o desempenho do indicador foi influenciado, principalmente, pela melhora das expectativas em relação aos próximos meses. O ICC é dividido em dois indicadores: o Índice de Situação Atual, que subiu 1,8% em outubro, em comparação com a queda de 4,4% em setembro; e o Índice de Expectativas, que teve elevação de 4,3% em outubro, em comparação com a alta de 2% em setembro. Esse último sub-índice atingiu 116,1 pontos, novo recorde histórico, na pesquisa.Ainda segundo a fundação, no período acumulado de 12 meses, os dois sub-índices do ICC apresentam variações positivas, com alta de 0,9% para o indicador de situação atual; e aumento de 5,8% para o de expectativas.Essa é a 25ª edição do indicador, calculado com base nos resultados da pesquisa "Sondagem das Expectativas do Consumidor", apurada desde outubro de 2002 (com periodicidade trimestral, até julho de 2004, quando passou a ser mensal). O índice é composto por cinco quesitos da sondagem. O levantamento abrange amostra de mais de 2.000 domicílios, em sete capitais, com entrevistas entre 1 e 22 de outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.