FGV: consumidor aponta juros e inflação como 'vilões'

Juros e inflação alta são os principais obstáculos apontados pelo consumidor para o crescimento econômico do País. A informação é da coordenadora técnica de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Viviane Seda Bittencourt. Hoje, a fundação anunciou recorte especial sobre o tema, que usou como base a pesquisa "Sondagem das Expectativas do Consumidor", de maio.Segundo a técnica, da amostra de mais de 2 mil domicílios em sete capitais, o levantamento apurou que 36,4% dos entrevistados lembraram das taxas de juros como um fator que dificulta um maior crescimento econômico do País. Na segunda posição, citada por 18,8% dos entrevistados, está a inflação.Segundo a pesquisa, a projeção de inflação do consumidor para os próximos 12 meses foi de 6,2% em maio, bem próxima ao patamar elevado já apurado para a mesma pergunta em abril (6,3%). Além disso, de abril para maio, subiu de 37,5% para 43,8% o porcentual de entrevistados que apostam em continuidade na trajetória de elevação de juros. "Juros altos é uma coisa que mexe muito com o humor do consumidor. Houve muita oferta de crédito, muitos financiamentos para compra de carros, por exemplo, foram concedidos", disse Viviane. "Com a possibilidade de aumento de juros, o consumidor fica mais receoso, mais cauteloso, ao projetar suas expectativas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.