FGV: cresce a intenção de comprar bens duráveis

A melhora na percepção do consumidor quanto à situação econômica local, aliada a um renovado interesse em aumentar compras de bens duráveis, foram os fatores que conduziram ao bom resultado do Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de março, que subiu 3,5% ante fevereiro. A informação é da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que anunciou hoje o índice.Ao detalhar os destaques de respostas, entre as perguntas feitas sobre a situação atual, a FGV informou, em comunicado, que a parcela dos entrevistados que consideram boa situação econômica da cidade em que residem como boa subiu de 16,9% para 19%, enquanto o porcentual dos que a avaliam como ruim diminuiu de 29,2% para 25,5%, de fevereiro para março.Já no caso das respostas sobre o futuro, a FGV esclareceu que "as perspectivas para a compra de bens duráveis nos próximos meses continuam bastante favoráveis". Segundo a FGV, a parcela de consumidores que prevêem maiores gastos elevou-se de 21,4% para 24,4%, de fevereiro para março. A dos que prevêem gastos menores diminuiu de 22,1% para 19,8%, no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.