FGV: cresce número de empresas que vê demanda forte

Embora o Índice de Confiança da Indústria (ICI) tenha registrado queda de 0,3% em maio ante abril, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) destacou que houve resultados positivos nas respostas relacionadas ao cenário presente. De acordo com a fundação, destaca-se a avaliação favorável em relação ao nível atual da demanda global, influenciada principalmente pelo mercado interno.Em comunicado, a FGV explicou que "entre maio de 2007 e maio de 2008, a parcela de empresas que o avaliam (o nível da demanda) como forte aumentou de 26% para 31%, enquanto a parcela das que o consideram fraco passou de 7% para 9%".No âmbito das expectativas, a FGV cita, entre os destaques positivos, as previsões relativas à contratação de pessoal. "Das 1.015 empresas consultadas, 30% prevêem aumento do contingente de mão-de-obra nos próximos três meses e 10%, redução. Em maio de 2007, estas parcelas haviam sido, respectivamente, de 26% e 10%", detalhou a instituição, em comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.