FGV: crise deve afetar Brasil de forma apenas pontual

O ciclo de crescimento brasileiro é muito influenciado pela demanda interna, e a desaceleração da economia americana deve afetar o País de forma apenas marginal. A avaliação é de Aloísio Campelo, coordenador da pesquisa de quesitos especiais da Sondagem Conjuntural da Indústria da Transformação, realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).Campelo reconheceu que há um componente de incerteza e alguma expectativa de que ocorra um desaquecimento no crescimento brasileiro, influenciado pelo cenário externo, mas destacou que isso ainda não foi detectado nas sondagens da FGV."Mesmo com essa incerteza, parece haver uma percepção de que essa desaceleração da economia americana e da crise no setor financeiro teria um impacto de desaceleração da economia brasileira, obviamente localizado nos setores que são mais relacionados aos países afetados", disse, mas ressaltou: "Isso não deve afetar o crescimento do PIB numa magnitude muito elevada"."O componente externo deve influenciar de alguma forma o crescimento, mas, por enquanto, isso deve ser algo pontual para as empresas que exportam muito para os Estados Unidos e outros países mais ligados aos EUA, que já estão enfrentando uma desaceleração no crescimento", declarou, mencionando a América Latina em geral, México, Canadá e Inglaterra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.