FGV: diesel e álcool sobem menos; gasolina cai

Os preços dos combustíveis pesquisados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) por meio do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiram menos ou apresentaram queda entre o final do mês de maio e o início do mês de junho. Segundo a instituição, o indicador, que abrange sete capitais do País (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife) registrou uma alta de 6,8% para o valor médio do óleo diesel na primeira quadrissemana do mês (últimos 30 dias encerrados em 7 de junho) ante uma variação de 7,29% no fechamento do mês anterior.Quanto à gasolina, o combustível apresentou queda de 0,06% ante aumento de 0,12%. O preço do álcool, por sua vez, desacelerou de maneira leve, já que a variação positiva entre o encerramento de maio e o início de junho passou de 0,30% para 0,29%. O comportamento dos combustíveis vem ajudando a impedir altas maiores da inflação ao consumidor, já bastante pressionada pela pressão expressiva dos preços dos alimentos. Se não apresentam quedas ou desacelerações fortes, pelo menos, não representam mais um fator que poderia puxar o IPC-S da FGV ainda mais para cima. Entre o final de maio e a primeira quadrissemana de junho, o indicador geral da FGV avançou de 0,87% para 1,12%, por conta principalmente da forte alta dos alimentos, que passou de 2,33% para 2,98% no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.