FGV: dobra parcela da indústria que vê demanda forte

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que, dos quesitos integrantes do índice de confiança relacionados à situação atual das empresas, o destaque é a avaliação feita a respeito do nível da demanda . Entre dezembro de 2006 e dezembro de 2007, a proporção de empresas que avaliam o nível atual da demanda como forte aumentou de 18% para 33%, ou seja, quase dobrou. Por outro lado, a parcela das que o avaliam como fraco passou de 8% para 9%. Segundo observam os técnicos da FGV no documento de divulgação do índice, o aumento na porção dos que vêem demanda forte foi "influenciado principalmente pelo mercado interno".No Índice de Expectativas, outro quesito do ICI, o dado mais favorável diz respeito às previsões relativas à contratação de pessoal. Das 1.080 empresas consultadas pela FGV, 27% prevêem aumento do contingente de mão-de-obra nos próximos 3 meses e 16%, redução. Em dezembro de 2006, estas parcelas foram, respectivamente, de 18% e 17%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.