FGV: há uma 'trégua' na alta dos preços de grãos

Os avanços de preços nas principais matérias-primas (commodities) agrícolas no atacado perderam força ou já dão mostras de começo de estabilidade, na primeira prévia do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de junho. A avaliação é do coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros.Segundo ele, na passagem da primeira prévia do IGP-M de maio para igual prévia neste mês, houve fim de elevação de preços em trigo (de 1,77% para -0,50%); e milho (de 3,38% para -4,97%), e forte desaceleração de preços em arroz em casca (de 32,76% para 9,17%). Além disso, o preço da soja, embora em aceleração, não avançou tanto quanto em apurações anteriores do índice (de 1,07% para 1,17%). "Nesse exato momento, há uma ''trégua'' na elevação de preços dos grãos", comentou o economista.Quadros observou que essa informação é muito importante, visto que esses itens têm uma longa cadeia de derivados muito consumidos no varejo. O economista não descartou desacelerações de preços no arroz, no pão francês e na farinha de trigo, nas próximas apurações do índice. "Pelo menos no caso dos agropecuários no atacado, pode-se notar que as elevações de preços estão menos disseminadas, e mais concentradas", afirmou.Entre as elevações de preços expressivas no atacado, que ajudaram a puxar para cima a inflação no setor, está a aceleração de preços em bovinos (de 2,63% para 4,43%). Esse comportamento dos bovinos influenciou o fim da queda de preços de outras carnes, como aves (de -0,26% para 0,86%) e suínos (de -1,92% para 6,77%).O economista comentou que, nesse cenário, é possível esperar novas elevações de preços nas carnes no varejo. Na passagem da primeira prévia do IGP-M de maio para igual prévia em junho, já houve aceleração de preços em carne bovina (de 1,16% para 3,55%) para o consumidor. "Os preços das carnes estão subindo, e podem continuar a subir por um tempo", disse, informando que as altas de preço nesse produto não estão dando mostras de perda de força, por enquanto.

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

11 de junho de 2008 | 12h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.