FGV: IGPs podem mostrar inflação de 10% em 2008

Os Índices Gerais de Preços (IGPs), calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), podem encerrar o ano com uma taxa de dois dígitos, ou seja, de 10% ou mais. Segundo o coordenador de Análises Econômicas da FGV, Salomão Quadros, a taxa mensal dos IGPs deve continuar a subir nos próximos dois meses e pode começar a desacelerar a partir de agosto, mas talvez não o suficiente para fechar o ano abaixo de 10%. "Por exemplo, em 12 meses até maio, o IGP-DI (Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna) já está em 12,14%. Pode ser que não tenha tempo, nos últimos quatro meses do ano, de a taxa em 12 meses dos IGPs recuar para menos de 10%", explicou. Ele lembrou também que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) em 12 meses até a primeira prévia de junho já atinge alta de 13,43%. Nesta manhã, o Banco Central divulgou a pesquisa semanal Focus, com as projeções do mercado para os principais indicadores econômicos brasileiros. Para o IGP-DI em 2008, a projeção média do mercado é de 9,96%, taxa que Salomão Quadros considerou uma previsão possível.Um fator que deve ser acompanhado de perto pelo economista, no âmbito da inflação, é o comportamento de preços dos produtos básicos (commodities) agrícolas, em particular da soja. Quadros comentou que estão ocorrendo focos de inundação no meio-oeste dos Estados Unidos. Isso pode afetar as boas projeções agrícolas para commodities, e principalmente para a soja. "Não podemos nos esquecer que o peso da soja, nos IGPs, é maior do que de muitos setores industriais", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.