Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

FGV: Indicador Antecedente indica contração na economia

O economista Paulo Picchetti, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), disse que o Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) do mês de outubro, não sinaliza recessão no próximo trimestre nem expansão vigorosa. "A expectativa é de um crescimento modesto", disse ele.

RENAN CARREIRA, Agencia Estado

14 de novembro de 2013 | 12h13

O IACE recuou 0,4% em outubro, para 125,5 pontos, divulgaram nesta quinta-feira, 14, o Ibre e o Conference Board. O resultado negativo veio após avanço de 0,6% em setembro e de 0,9% em agosto. "O indicador está mostrando um comportamento de estabilidade em torno de uma ligeira oscilação", disse Picchetti.

O economista explicou que o IACE busca antecipar movimentos de ciclos econômicos. "Se ocorrem quedas expressivas constantes, há um indicativo de recessão. Do contrário, se ocorrem altas constantes, há um indicativo de expansão forte da economia." A FGV prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) cairá 0,4% no terceiro trimestre, fechando o ano com expansão de 2,5%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.