FGV: inflação da baixa renda é a maior em 4 anos

No primeiro quadrimestre deste ano, a inflação da população de baixa renda, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), atingiu o mais elevado patamar em quatro anos, com alta de 3,19%. A informação é do economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV) André Braz. O técnico explicou que os preços dos alimentos foram os principais responsáveis por esse cenário, com alta de 6,17% nos primeiros quatro meses do ano.O destaque absoluto do período foi a alta no preço do pão francês, que foi de 14,22% - a mais expressiva elevação entre os produtos componentes do IPC-C1, e a principal influência para a taxa elevada, no acumulado do ano. Todos os principais destaques de altas de preço no primeiro quadrimestre do ano foram originados do setor de alimentação. Além do pão francês, foram registradas elevações significativas, no período, em óleo de soja (32,31%); leite tipo longa vida (8,01%) e ovo de galinha (8,45%).Braz explica que o cenário de preços em alta nos alimentos do varejo tem a ver com o cenário do setor atacadista, que conta com preços mais caros de itens agrícolas - como a soja e o trigo, por exemplo. "Esses produtos têm uma cadeia de derivados longa, principalmente o trigo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.