FGV: inflação deste mês será zero

A inflação em setembro ficará próxima de zero e pode até ser negativa, de acordo com o chefe do Centro de Estudos de Preços da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Paulo Sidney Melo Cota. Segundo o economista, os preços dos alimentos estão em queda em todo o Brasil. Produtos que influíram para o repique da inflação em julho e agosto vão entrar com variação negativa em setembro, contribuindo para a redução da inflação, de acordo com Cota. Segundo o economista, as reduções dos preços dos alimentos já devem influenciar alguns dos índices que medem a inflação e que estão saindo na próxima semana. A primeira prévia do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) será divulgada na segunda-feira e o Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna será anunciado na terça-feira. Eles devem ter variação positiva ainda, porém, menor que em agosto.A FGV divulgou ontem o Índice de Preços ao Consumidor da cidade do Rio de Janeiro (IPC-RJ), que caiu de 1,46% em julho para 0,78% em agosto. O IPC-RJ ainda foi puxado pela alimentação, que subiu 1,36%, e pelos serviços pessoais, que teve alta de 1,71%, pressionado pelos combustíveis. Os combustíveis não caem de preço como os alimentos, mas não estão aumentando e não há novos reajustes agendados.Três grupos pesquisados no IPC-RJ tiveram queda de preços em agosto: Habitação (-0,03%), Serviços Públicos (-0,26%) e Vestuário (-1,07%). A queda de preços em vestuário foi expressiva e está ligada às liquidações que as lojas fazem para liberar as últimas peças das coleções de outono/inverno e abrir espaço nos estoques para a entrada da moda de primavera/verão. Os outros grupos que formam o IPC-RJ são ode Assistência à Saúde e Higiene, com 0,46% de aumento, e o de Artigos de Residência, que subiu 0,39%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.