FGV: IPC-S fica em 0,79% na 1ª prévia de julho

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) ficou em 0,79% na primeira prévia de julho, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No índice anterior, apurado até 30 de junho, a fundação apurou alta de 0,77% para o mesmo índice. Segundo a FGV, a principal contribuição para a aceleração da taxa do indicador partiu de elevações de preços mais intensas em quatro das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, na passagem do IPC-S de até 30 de junho para o índice de até ontem. Mais uma vez, o destaque absoluto ficou por conta da inflação mais intensa no grupo alimentação (de 1,85% para 1,93%), no período. Segundo a FGV, esse setor contou com deflações mais fracas e altas mais intensas nos preços de frutas (-4,08% para -1,42%), laticínios (0,66% para 1,01%) e pescados frescos (1,20% para 1,64%). Em comunicado, a fundação adiantou ainda que "o avanço da taxa do grupo não foi maior, em função dos decréscimos registrados pelos itens: hortaliças e legumes (0,83% para -0,89%), panificados e biscoitos (1,61% para 0,95%), arroz e feijão (11,18% para 10,64%) e carnes bovinas (8,05% para 7,94%)".Além dos alimentos, os outros grupos que apresentaram aceleração de preços, no mesmo período, foram os de saúde e cuidados pessoais (de 0,58% para 0,59%); despesas diversas (de 0,36% para 0,40%) e transportes (de 0,05% para 0,11%).Já os grupos restantes apresentaram desaceleração de preços. É o caso de habitação (de 0,33% para 0,30%); vestuário (de 0,56% para 0,40%); e educação, leitura e recreação (de 0,37% para 0,30%).

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

08 de julho de 2008 | 08h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.