FGV: números confirmam recuperação da indústria

O pesquisador Paulo Picchetti, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), disse hoje que os números do Sinalizador da Produção Industrial (SPI) do Estado de São Paulo, em novembro, finalmente confirmaram o cenário que ele havia traçado para esta época do ano, de um crescimento do indicador. Pela manhã, a instituição informou que a produção da indústria em novembro deve subir 3,2% em relação a outubro. Na comparação com novembro do ano passado, o SPI avançou 4,4%. O objetivo do indicador, que é coordenado por Picchetti, é antecipar as tendências da atividade industrial paulista.

FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

11 de dezembro de 2009 | 16h06

Em entrevista à Agência Estado, ele avaliou que os resultados conhecidos hoje, mais uma vez, confirmam o momento de retomada da indústria, depois de o setor ter sido um dos mais atingidos pela crise econômica mundial. "O mais evidente é que o resultado foi mais um número positivo que corrobora o processo de recuperação, que aparece no momento em que observamos outros indicadores importantes que dão hoje ainda mais convicção de que esta retomada está bem sustentada", afirmou.

Entre os outros indicadores mencionados, Picchetti destacou a informação trazida ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre. De acordo com o IBGE, o crescimento de 6,5% na Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) ante o segundo trimestre representou a maior alta desde o primeiro trimestre de 2006. "Esses números de investimentos, juntamente com os dados recentes de emprego, ajudam nas interpretações de que a retomada é efetivamente robusta", comentou.

O especialista destacou ainda o fato de o indicador ter passado para o terreno positivo pela primeira vez no ano, na comparação com os meses de 2008. "Agora, finalmente, veio este crescimento de 4,4%, que começa a interferir também no resultado de 12 meses, que começa a parar de piorar", disse. Na comparação dos últimos 12 meses até novembro, com os 12 meses imediatamente anteriores, a taxa do SPI ainda foi negativa, de 10,6%.

"Para dezembro, deve haver um salto enorme, porque dezembro de 2008 foi aquele mês que o SPI caiu quase 15% só na margem. Portanto, certamente, o confronto interanual vai ficar muito mais positivo e o acumulado de 12 meses já vai mostrar uma mudança mais clara", previu Picchetti.

Tudo o que sabemos sobre:
produçãoindústriasinalizadorFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.