FGV: otimismo de empresários atinge nível recorde

Setor que pretende contratar mais trabalhadores é o de bens de capital

Anne Warth, da Agência Estado,

30 de dezembro de 2009 | 15h04

O otimismo dos empresários da indústria para o início de 2010 atingiu nível recorde, segundo dados da Sondagem da Indústria de Transformação divulgada nesta quarta-feira,30, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Dos itens que compõem a pesquisa, dois alcançaram em dezembro o melhor resultado da série histórica: Situação Futura dos Negócios, com 159,2 pontos, e Produção Prevista , com 144,1 pontos.

 

Questionados sobre o que esperam da situação de seus negócios para os próximos seis meses, 61,8% dos consultados acreditam que devem ser melhores e apenas 2,6% disseram esperar resultados inferiores. A média histórica do indicador de situação futura é de 137,3 pontos.

 

No caso da produção prevista para os próximos três meses, 46,9% dos empresários responderam que ela será maior que atual e apenas 2,8% disseram que vão produzir menos. A média para este índice nos últimos dez anos é de 122,6 pontos.

 

Também com resultado positivo, embora inferior ao da produção e ao da situação futura dos negócios, o item Emprego Previsto atingiu 120 pontos, ante uma média de 108,6 nos últimos dez anos. Para o coordenador técnico de Sondagens Conjunturais da FGV, Jorge Braga, o resultado indica que a indústria está contratando trabalhadores em um ritmo bom, mas que não acompanha a velocidade de crescimento da produção.

 

O destaque entre os setores que mais pretendem contratar trabalhadores é o de bens de capital, um dos mais atingidos pelos impactos da crise financeira mundial. O dado indica que os investimentos devem começar a ser retomados no início de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
confiançaeconomiaBrasilemrpesários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.