FGV: preços subiram mais em alimentos e tarifas

Ao analisar a movimentação de preços entre os produtos, no âmbito do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) medido até ontem, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que as mais expressivas altas de preço foram registradas nos setores de alimentação e tarifas. Segundo a fundação, as elevações de preços mais significativas foram apuradas em tomate (45,66%); feijão carioquinha (28,72%); e tarifa de ônibus urbano (1,11%). Por sua vez, as deflações de preço mais expressivas, no âmbito da terceira prévia do IPC-S, foram verificadas também nos setores de alimentação e de tarifas. É o caso das quedas de preços em batata-inglesa (-4,62%); limão (-15,41%); e tarifa de táxi (-2,32%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.