FGV: ritmo da atividade industrial deve se fortalecer

O aumento de 0,40% na produção industrial de julho contra junho foi considerado um bom sinal pelo economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e ex-coordenador de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Silvio Sales. "Tudo indica que esta elevação no ritmo de atividade industrial vai se fortalecer ao longo do segundo semestre", afirmou o especialista.

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

31 de agosto de 2010 | 14h18

Ele lembrou que, normalmente no segundo semestre, a economia encontra-se quase sempre mais aquecida em comparação com o primeiro semestre. O consumo aumenta nos últimos meses do ano por causa das vendas relacionadas ao Natal, e a indústria costuma se preparar para atender ao aumento no ritmo das encomendas. Com isso, o nível de atividade industrial já começa a acelerar antes do último trimestre do ano, historicamente, o que ajuda a estimular a produção.

Outro ponto destacado por Sales foi o comportamento de bens intermediários, cuja produção subiu 0,9% em julho contra junho. "É o setor de maior peso dentro da indústria, e é um crescimento relacionado a aumento na demanda por matéria-prima", afirmou, acrescentando que uma possível elevação na procura por matéria-prima pode indicar aumentos futuros nas produções industriais relacionadas a bens finais. Ele não descartou a possibilidade de a produção industrial em 2010 encerrar o ano com alta entre 10,5% e 11%, em consonância com as projeções de mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
FGVritmo de atividade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.