FHC anuncia hoje data do fim do racionamento

O presidente Fernando Henrique Cardoso anuncia hoje a data do fim do racionamento, e a probabilidade maior é que a economia compulsória de energia acabe no dia 1º de março. Às 10 horas, Fernando Henrique reúne-se com os ministros que compõem a Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE) e ouvirá, no encontro, relatório sobre estudos elaborados pelos grupos de trabalho da GCE. Também será apresentado, no encontro, relato do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre os números mais recentes sobre a situação dos reservatórios que abastecem as usinas hidrelétricas. Uma das novidades que a GCE poderá anunciar é a superação do limite de segurança nos reservatórios do Nordeste, a exemplo do que já ocorreu no Sudeste e no Centro-Oeste. No domingo faltava apenas 0,41 ponto porcentual para que fosse alcançado o nível que permite tecnicamente o fim do racionamento na região. No Sudeste e Centro-Oeste, o limite de segurança foi alcançado na semana passada, e o nível dos reservatórios estava, na noite de domingo, 3,22 pontos porcentuais acima da curva-guia. O presidente, com os dados do ONS em mãos, fará hoje um pronunciamento em cadeia de rádio e televisão para comunicar à população o fim do racionamento. O governo acredita que houve uma mudança de comportamento e que a população fará uma economia voluntária de energia de cerca de 7%. A GCE conta não apenas com o efeitos de equipamentos que foram substituídos em residências, lojas e indústrias, mas também com as indicações de uma pesquisa realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nela, 72% dos entrevistados disseram que pretendem continuar economizando energia, mesmo após o fim do racionamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.