FHC critica protecionismo adotado pelos EUA

O presidente Fernando Henrique Cardoso lamentou, na inauguração Feira Comercial Internacional (Expocomer), as decisões dos Estados Unidos que prejudicaram a siderugia brasileira ?sem possibilidade de haver uma solução equânime". Na presença de seis presidentes de países centro-americanos em um auditório com cerca de mil e quinhentos empresários, ele avaliou que o protecionismo adotado pelos países mais desenvolvidos é um anacronismo incompatível com os valores da cooperação no plano internacional. "É fundamental que cada país possa explorar suas vantagens comparativas sem que isso gere reações protecionistas dos países mais ricos", ressaltou. Fernando Henrique disse que o problema se torna visível no caso das exportações brasileiras de aço. "Para nós, latino-americanos, um grande desafio é incrementar os fluxos comerciais entre os nossos países, mas incrementá-los de uma forma que corresponda aos interesses de todos?, afirmou. "É um projeto que se impulsiona com grande força e que gera grande interesse.O presidente afirmou ainda que confia na recuperação da economia da Argentina. "Sabemos que com uma Argentina forte e próspera tanto o Mercosul quanto o Brasil serão mais prósperos e mais fortes", ressaltou. Fernando Henrique disse que para o Brasil ampliar e diversificar as relações comerciais com todos os blocos econômicos é um desafio prioritário de política externa e de nossa inserção na economia mundial. Fernando Henrique visitou o estande brasileiro na Feira Comercial Internacional (Expocomer) onde comeu um "romeu e julieta" (goiabada com queijo). Acompanhado da presidente do Panamá, Mireya Moscoso, Fernando Henrique visitou também o estande Panamenho. Ele já deixou a exposição e se dirigiu ao hotel. Fernando Henrique embarcará de volta para o Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.