Valter Campanato/Agência Brasil
Valter Campanato/Agência Brasil

FI-FGTS fechou 2015 com R$ 1,15 bi em debêntures da Eldorado Brasil Celulose

Operação da PF buscou documentos na Eldorado sobre o fundo nesta sexta-feira; companhia foi citada em delação premiada do ex-vice-presidente da Caixa

Fernanda Guimarães e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2016 | 11h45

SÃO PAULO - O Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo e Serviço (FI-FGTS) possuía, ao final do ano, passado R$ 1,149 bilhão em debêntures da Eldorado Brasil Celulose, conforme as demonstrações financeiras do fundo correspondente a 2015. Com esse valor, os papéis da dívida da Eldorado correspondiam, na época, a 3,72% do patrimônio líquido da carteira.

Na manhã de hoje, a Polícia Federal buscou documentos na Eldorado exatamente sobre o FI-FGTS. A companhia foi citada em delação premiada do ex-vice-presidente da Caixa, Fábio Cleto, que disse acreditar que o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tenha recebido valor superior a 1% como comissão, relativo a essa emissão.

A Eldorado Brasil confirmou que a Polícia Federal realizou busca e apreensão em suas dependências nesta manhã, em São Paulo, mas diz "desconhecer as razões e o objetivo desta ação". Por meio de nota, a fabricante de celulose do grupo J&F afirma que na ocasião prestou todas as informações solicitadas e que "sempre atuou de forma transparente e todas as suas atividades são realizadas dentro da legalidade".

No demonstrativo financeiro citado consta que "os recursos captados por meio dessa emissão são destinados para o desenvolvimento do projeto de construção e implantação do tratamento de águas e efluentes relacionados ao projeto localizado na cidade de Três Lagoas-MS, bem como investimento em soluções para transporte rodoviário e hidroviário da emissora". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.