carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

FI-FGTS reduz investimentos em projetos do PAC

Criado há três anos com forte apelo de destravar aplicações em obras públicas, o Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) diminuiu sua atuação. Dados do Ministério do Trabalho divulgados ontem apontam que, desde 2008, o total usado em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foi de R$ 15,8 bilhões dos R$ 19,1 bilhões previstos para o período.

Célia Froufe, O Estado de S.Paulo

30 de dezembro de 2010 | 00h00

Segundo a Caixa, foram desembolsados R$ 9,25 bilhões no primeiro ano do FI, o triplo do verificado nos anos seguintes: R$ 3,2 bilhões em 2009 e R$ 3,35 bilhões em 2010, quando havia expectativa de um novo crescimento com o fim da crise externa. Ainda que as eleições atrapalhem a remessa de verbas, isso não explica a diferença.

Por sofrer limitações, o dinheiro do FGTS tradicional não é aplicado e, por isso, o governo criou o FI, usado pela Caixa para comprar cotas do Fundo de Investimentos em Participações (FIP). O setor mais prejudicado, segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, é o do saneamento.

Grande parte dos R$ 15,8 bilhões foi destinada ao setor de energia, que contou com aprovação de R$ 11,66 bilhões. Em seguida vêm as execuções de ferrovia (R$ 1,43 bilhão), rodovia (R$ 1,03 bilhão), porto (R$ 994 milhões) e saneamento (R$ 710 milhões).

Lupi mostrou-se insatisfeito com a impossibilidade de o FI ser uma forma de investimento à pessoa física. Em 2007, previu-se a participação do trabalhador por meio de até 30% do seu saldo do FGTS. Até agora, porém, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) não aprovou o projeto. "Quero apelar à CVM que aprove o mais rápido possível, pois isso está atrapalhando", afirmou. O assunto está em análise na CVM, mas a autarquia não comentou a posição do ministro.

Dentro do governo há o temor de abrir a aplicação para os trabalhadores. Não só porque o risco é alto, mas porque, ao contrário de ações feitas no passado com papéis da Vale e da Petrobrás, não há garantia de liquidez do FI-FGTS e o trabalhador pode acabar com um mico nas mãos.

Arrecadação. O ministro também divulgou ontem que o aquecimento do mercado de trabalho deu um gás na arrecadação do FGTS no ano. Em 2009, o Fundo obteve R$ 54,7 bilhões de recursos e este ano, um recorde de R$ 55,2 bilhões com a maior formalização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.