Fiat concede férias coletivas a 800 empregados

A Fiat concederá férias coletivas a 800 trabalhadores da fábrica de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte a partir de hoje, por um período de dez dias. A informação foi dada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e confirmada pela montadora. De acordo com a Fiat, as férias se devem a um ajuste de produção.O Sindicato divulgou hoje um balanço das homologações feitas no ano passado, que contabilizou 4.072 rescisões de contratos de metalúrgicos da região, cuja base total atingia 41.748 trabalhadores em dezembro de 2008. Destes, cerca de 15 mil eram ligados à Fiat.De acordo com o sindicato, o volume de demissões em 2008 cresceu 66%, sendo que no último trimestre de 2008 foram demitidas 1.637 pessoas, um aumento de 405% em relação ao mesmo período de 2007. O presidente do sindicato, Marcelino da Rocha, informou ainda que somente na primeira quinzena de janeiro ocorreram 274 demissões na região e até o fim deste mês estão agendadas 599 homologações no sindicato.Em 2008, a Fiat demitiu 844 funcionários, segundo o sindicato. A montadora intercalou períodos de 10 e 20 dias de férias coletivas para os funcionários entre o início de dezembro e início de janeiro.Amanhã às 10 horas deverá ser realizada, na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), uma reunião entre Fiat, 14 empresas fornecedoras de autopeças e o sindicato para avaliar a situação dos trabalhadores. Na pauta da reunião, segundo Rocha, deverão constar propostas sobre flexibilização de contratos, banco de horas e redução de jornada, entre outros pontos.Para o sindicato, qualquer iniciativa de flexibilização terá que exigir uma contrapartida por parte das empresas. "O sindicato não pode se negar a negociar com as empresas, mas vamos exigir que elas apresentem entre os argumentos uma situação econômica negativa, conforme exige a lei", disse Rocha.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

21 de janeiro de 2009 | 13h04

Tudo o que sabemos sobre:
Fiatférias coletivasdemissões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.