Reuters
Reuters

Fiat dá férias coletivas a 2 mil metalúrgicos em Betim

Trabalhadores da linha de produção da fábrica de Betim, em Minas Gerais, serão colocados em férias coletivas a partir de segunda-feira, por 20 dias; será a 2ª vez que a montadora tenta ajustar a produção à baixa demanda do mercado

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

06 Maio 2015 | 17h55

A Fiat informou nesta quarta-feira que vai novamente colocar 2 mil metalúrgicos da linha de produção da fábrica de Betim (MG) em férias coletivas a partir de segunda-feira, por 20 dias. Será a segunda vez que a montadora tenta ajustar a produção à baixa demanda do mercado. Cerca de 2 mil dos 19 mil funcionários da unidade já tinham sido colocados em férias coletivas pela montadora de 9 a 30 de março.


A General Motors (GM) também anunciou nesta terça-feira que 325 metalúrgicos da fábrica de São José dos Campos (SP) entrarão em lay-off (suspensão temporária dos contratos de trabalho) a partir de sexta-feira e até 7 de agosto para ajustar produção à demanda. Eles se juntam a 473 trabalhadores que estão em lay-off de março a agosto na unidade.

A GM também informou que concedeu licença remunerada para 467 empregados do Complexo Industrial de São Caetano do Sul (SP) desde terça-feira, por tempo indeterminado. Na unidade, a montadora já tem 819 metalúrgicos com contrato de trabalho suspenso desde novembro. Eles deveriam ter voltado ao trabalho em abril, mas a companhia prorrogou o lay-off até julho.

Desde segunda-feira, cerca de 8 mil trabalhadores da linha de produção da fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) estão em férias coletivas, por 10 dias, segundo o sindicato dos metalúrgicos da região. A medida é um mecanismo para ajustar produção à baixa demanda por veículos novos, cujas vendas acumulam queda de quase 20% em 2015 até abril.

Mais conteúdo sobre:
setor automotivofiat

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.