Fiat vai produzir motores na fábrica de Pernambuco

Projeto receberá investimento de R$ 500 milhões e ficará na área onde o grupo constrói sua segunda unidade de automóveis no País

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2012 | 02h07

O presidente da Fiat do Brasil, Cledorvino Belini, anunciou ontem à presidente Dilma Rousseff e ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, investimento de R$ 500 milhões em uma nova fábrica de motores em Pernambuco. A unidade vai gerar 550 empregos e receberá financiamento do Programa de Sustentação do Investimento (PSI).

"Recebemos financiamento para a instalação da fábrica e cerca de 80% é do PSI", disse Belini. A fábrica iniciará a produção em 2015 para abastecer o mercado interno e outros países da América Latina.

Mantega defendeu, mais uma vez, a ampliação dos investimentos no País. "Para nós, é muito importante que no próximo ano o Brasil tenha um alto nível de investimento. Temos de alcançar crescimento do investimento da ordem de 8% em relação a este ano", disse, acrescentando que vários setores produtivos precisam colaborar para que essa marca seja alcançada.

Segundo Belini, que também é presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Dilma relatou estar otimista com o crescimento do Brasil. Ele disse que também está otimista, mas afirmou que não houve discussão sobre números de crescimento.

"Os números são relativos. Cada um tem o seu, diferenciado. O importante é que com os juros baixos e com o potencial de investimento, vamos assegurar a continuidade do processo de crescimento já iniciado".

A Fiat vai instalar a nova unidade na cidade pernambucana de Goiana, onde está construindo sua segunda fábrica de automóveis no País, projeto orçado em R$ 3 bilhões e capacidade para produzir 250 mil carros por ano. O primeiro será um compacto, substituto do Mille.

A empresa informou que os motores atenderão às exigências de eficiência energética previstas no programa Inovar-Auto. O complexo de Goiana deve gerar 4,5 mil empregos diretos na linha de automóveis, prevista para iniciar operação em 2014.

Mais capacidade. Várias montadoras instaladas no País investem atualmente em novas fábricas de motores ou ampliação das atuais. A Ford está em fase de construção de uma fábrica desses equipamentos em Camaçari (BA), com capacidade anual de 210 mil peças. O investimento é de R$ 400 milhões.

A Toyota terá uma fábrica de motores em Porto Feliz (SP), para 200 mil unidades ao ano e aportes de R$ 1 bilhão, segundo anúncio feito pela direção mundial do grupo em agosto. A General Motors abriu recentemente uma filial em Joinville (SC), com aportes de R$ 350 milhões e capacidade de 120 mil motores anualmente. A Mitsubishi também terá fábrica desse equipamento em Catalão (GO), enquanto Renault, PSA Peugeot Citroën e Volkswagen estão ampliando as capacidades de suas unidades no Paraná, no Rio no interior de São Paulo, respectivamente./ COLABOROU CLEIDE SILVA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.