Fibria diz que ainda 'há mais por vir' em venda de terras

A Fibria, maior produtora mundial de celulose de eucalipto, deve vender mais ativos florestais, após se desfazer de terras no Rio Grande do Sul, afirmou o presidente-executivo da empresa, Marcelo Castelli, em entrevista ao Reuters Insider.

Reuters

29 de novembro de 2012 | 12h41

"Temos muita terra disponível. Ainda temos muito a fazer. Há mais por vir", disse ele.

Em setembro, a Fibria anunciou a venda de ativos florestais e terras no Rio Grande do Sul reunidos sob o Projeto Losango por 615 milhões de reais para a Celulose Riograndense.

Questionado sobre a demanda internacional por celulose, Castelli afirmou que o cenário está melhor, com a China voltando às compras, mas que "ninguém sabe se (isso) é só recomposição de estoques ou um bom momento que o mercado irá manter".

O executivo também afirmou que após o fim do verão no hemisfério norte alguns países europeus voltaram a comprar celulose, o que somado com o anúncio de fechamento de capacidades torna o cenário para os preços do insumo mais positivos no curto prazo.

(Por Greeg Greenberg)

Tudo o que sabemos sobre:
PAPELFIBRIAVENDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.