Fiesp: alto uso da capacidade instalada não preocupa

O elevado nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) apresentado pela indústria paulista em fevereiro, de 83,3%, com ajuste sazonal, não deve ser motivo de preocupação para os analistas do mercado e integrantes do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, garantiu hoje a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). "Não nos alinhamos com aqueles que vêem risco nos atuais patamares do Nuci", afirmou o diretor do Departamento de Economia da entidade, Paulo Francini. Numa alusão ao Copom, Francini disse: "Podem ficar sossegados".Francini, parafraseando o ex-ministro Delfim Netto, criticou o "terrorismo" demonstrado na última ata divulgada pelo Copom, com a indicação de que o BC chegou a considerar elevar os juros já em março. "Pareceu coisa da mãe que diz para o filho escovar os dentes, senão o coloca de castigo. A indústria tem feito o que deve", defendeu. Ele ressaltou que nem mesmo o consumo elevado estimulou o aumento de preços. "Mesmo com o boom da indústria automotiva, os preços dos automóveis aumentaram apenas 2,6%, abaixo da inflação, ou seja, absolutamente comportados. Não vemos esse grau de risco", afirmou, ressaltando que a demanda do mercado interno é muito saudável, principalmente em um panorama externo de possível crise.A elevação da taxa básica de juros seria um erro, opina a Fiesp, já que as pressões inflacionárias concentram-se hoje nos preços de produtos agrícolas, cuja demanda mundial aumentou significativamente. "Por mais poderoso que seja o BC, esse problema não será resolvido com a elevação dos juros. A indústria não controla isso", cutucou.Segundo dados da Fiesp, o Nuci já começa a dar sinais de inflexão e mostra uma tendência de estabilização ou até mesmo de uma leve redução ao longo deste ano. Em janeiro, por exemplo, o indicador estava um pouco maior, em 83,7%. A curva da tendência para o Nuci inclusive já "embicou para baixo", explicou Francini. Ele citou que o nível de utilização da capacidade instalada aumentou cerca de 3 pontos porcentuais na comparação com fevereiro de 2007 (79%), mas explicou que, no mesmo período, o nível de atividade aumentou 13,1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.