Fiesp e centrais sindicais analisam efeito do corte no juro

O efeito do corte de 0,50 ponto porcentual na Selic, a taxa básica de juros da economia, sobre a conjuntura econômica do País no curto prazo será analisado na próxima semana por entidades representativas de empresários, lideradas pela Fiesp, e centrais sindicais. A informação é da própria Fiesp, cujo presidente, Horácio Lafer Piva, esteve reunido hoje com o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, e hoje manteve contato telefônico com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Marinho. Segundo Marinho, empresários e trabalhadores querem "auxiliar" o governo federal a adotar iniciativas para a retomada do crescimento econômico que vão além da redução dos juros. "Apostamos no diálogo dos diversos setores com o governo para chegarmos até um conjunto de acordos setoriais", explica. Além da busca de alternativas para a retomada do crescimento econômico, Marinho explica que o encontro tentará identificar mecanismos para a redução dos juros na ponta do consumidor, o chamado spread bancário ? diferença entre as taxas de captação dos bancos junto aos investidores e os juros cobrados nas operações de crédito. "Essa queda na ponta pode ajudar muito mais do que a Selic", afirma. Segundo a Fiesp, apenas depois do encontro e análise econômica conjuntural na próxima semana é que empresários e trabalhadores vão avaliar se solicitam audiência com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.