Fiesp eleva para 4% projeção de alta do emprego em 2004

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) revisou para cima a projeção de crescimento do nível de emprego em 2004. Até o mês passado, a entidade acreditava que a variação seria positiva em, no máximo, 3,5%. Diante dos números de julho (0,76% sobre junho), entretanto, a estimativa passou a ser de 4%. Isso significa que a indústria paulista deve contratar até o fim do ano 70 mil trabalhadores. Se concretizada a nova previsão, será o melhor crescimento do emprego em um único ano desde o início da série histórica, em 1994.Segundo Claudio Vaz, diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da Fiesp, a revisão levou em conta a certeza de que nos próximos três meses o nível de emprego paulista também apresentará variação positiva, embora em níveis decrescentes a partir de junho, quando a alta foi de 0,79%. O nível de emprego industrial deve ser estável em novembro e voltar a ser negativo em dezembro, desempenhos tradicionais para esses meses.Outro dado que ajudou na revisão foi o desempenho setorial da indústria em julho. Dos 47 sindicatos pesquisados, 28 contrataram, 8 mantiveram as vagas e apenas 11 demitiram. "Os números moram que o crescimento do emprego é sustentado", disse Vaz.Em julho, a alta de 0,76% foi, pela primeira vez em vários meses, distribuída por vários setores, inclusive entre alguns mais dependentes do mercado interno. Do total de 0,76%, para se ter uma idéia, três setores responderam, cada um, com 0,12 ponto porcentual: montadoras e fornecedores; calçados e vestuário.CopomO diretor da Fiesp não acredita em redução dos juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) nesta semana, mas também não acredita em aumento da Selic. "Uma alta seria demonstração explicita de insanidade por parte da autoridade monetária", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.