Fiesp elogia Copom e prevê melhora na perspectiva para 2004

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horácio Lafer Piva, elogiou a decisão do Banco Central de cortar em 2,5 pontos porcentuais a Selic, a taxa básica de juros da economia. "A instituição mantém ao mesmo tempo o gradualismo e a cautela", afirmou. A Selic passou de 24,5% ao ano para 22% ao ano.Para Piva, gestos mais ousados como o de hoje melhoram as perspectivas para 2004 e as decisões de investimento. A medida foi bastante acertada, segundo o empresário, mas ainda assim a taxa de juros brasileira continua sendo uma das mais altas do mundo. Piva acredita que há condições de a Selic chegar aos 18% ao ano até o final de 2003. A medida, espera o empresário, deve reduzir as taxas finais de juros ao consumidor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.