Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Fiesp: nível de emprego pode ficar estável este mês

O nível de emprego da indústria paulista deve recuperar a estabilidade no mês de maio, depois de sete meses consecutivos em que as demissões superaram as contratações no cálculo com ajuste sazonal. A projeção é do diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Francini, que torce para que o mês de maio não registre demissões residuais, ainda relacionadas à crise financeira internacional. "Para voltar a subir, quem está em queda precisa parar de cair e chegar à estabilidade. Achamos que o pior momento para o emprego da indústria paulista já passou", disse Francini.

ANNE WARTH, Agencia Estado

14 de maio de 2009 | 18h08

Ele citou a pesquisa Sensor, que mede a confiança dos empresários e na qual o item emprego atingiu 52,3 pontos na primeira quinzena de maio, acima dos 51,2 pontos da segunda quinzena de abril e do nível de equilíbrio de 50 pontos, o que indica que pode haver contratações ao longo deste mês. "Em maio, desapareceu a tendência negativa do emprego que começou em novembro", destacou Francini.

Dados da Fiesp indicam que o saldo positivo de postos de trabalho em abril foi de 19 mil contratações. O resultado positivo está totalmente relacionado à admissão de 28.207 trabalhadores pelas usinas de açúcar e álcool, uma vez que os demais setores que compõem a pesquisa da entidade demitiram 9.207 empregados no mês.

Em abril, o nível de emprego da indústria sucroalcooleira subiu 19,8% ante março. Já nos demais setores o emprego recuou 0,4%, menos que os resultados de março (-0,9%), fevereiro (-1,9%) e janeiro (-1,2%). Na avaliação de Francini, é possível observar uma tendência de diminuição no ritmo de demissões.

"Em março, vimos uma atenuação no ritmo de perda do emprego que se confirmou em abril. Estamos em uma rota de redução desse ritmo. Não nos surpreenderíamos se em maio chegarmos à estabilidade", explicou. "Poderemos ter ainda uma redução residual de empregos em maio, mas acreditamos e torcemos para que se atinja a estabilidade."

Tudo o que sabemos sobre:
empregoindústriaFiesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.