Fiesp: nível de emprego sobe 0,94% em novembro

O nível de emprego na indústria paulista subiu 0,94% em novembro ante outubro, com ajuste sazonal, no melhor resultado desde dezembro de 2006, quando a alta foi de 1,51%, de acordo com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). No cálculo sem ajuste sazonal, o emprego teve alta de 0,15%. Segundo a entidade, 3.500 vagas foram criadas no mês. De janeiro a novembro, o emprego acumula queda de 1,35%, o que significou o fechamento de 30,5 mil postos. Na comparação com novembro de 2008, o indicador teve queda de 6,29%, o que representou uma redução de 150 mil vagas.

ANNE WARTH, Agencia Estado

15 de dezembro de 2009 | 11h56

Dos 22 setores nos quais a Fiesp subdivide a indústria para o levantamento, 13 criaram postos, 6 demitiram e 3 mantiveram seus quadros de funcionários estáveis. A indústria de veículos automotores liderou a criação de postos em novembro, com oferta de 3.147 novas vagas, seguida pela indústria de máquinas, aparelhos e materiais elétricos, com 845 vagas, e móveis, com 599 postos. A indústria de informática, por outro lado, foi a que mais demitiu no mês, com 1.488 dispensas, seguida pela indústria de couro e calçado (-1.363) e produtos diversos (-660).

Confiança

A confiança dos empresários da indústria paulista caiu neste mês, segundo dados da Fiesp divulgados hoje. A pesquisa Sensor, realizada pela entidade, registrou 50,5 pontos em dezembro, ante 54,9 na segunda quinzena de novembro e 56,1 na primeira quinzena do mês passado. Segundo a Fiesp, a partir deste mês, a pesquisa voltará a ser realizada mensalmente, depois de cerca de um ano feita de 15 em 15 dias para medir os impactos da crise financeira no País.

Dos itens que compõem o Sensor, o que puxou a queda na confiança do empresariado foi o de vendas, com 44,7 pontos em dezembro ante 56,3 no levantamento anterior. Também registrou retração o item emprego, com 50,5 pontos, ante 56,7 pontos, na mesma base de comparação. Os demais itens, na avaliação da Fiesp, ficaram relativamente estáveis. Foram eles: mercado, com 52,2 pontos ante 53,5 pontos, estoque (52,1 ante 53,4) e investimentos (54,2 ante 54,6). Na pesquisa Sensor, resultados em torno dos 50 pontos indicam estabilidade, acima de 50 apontam otimismo e abaixo desse patamar, pessimismo.

Tudo o que sabemos sobre:
indústriaSPempregoFiesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.